• Escola Lega Montessori

O que realmente significa “seguir a criança”?

Fernanda Poncetti


É comum ouvir entre os montessorianos alguns jargões do tipo: “ambiente preparado”, “normalização” e “seguir a criança”. Entendo que pode ser isolador ou até mesmo causar estranhamento, caso seja a primeira vez que tenha ouvido. Creio fielmente e tenho forte convicção sobre o uso da linguagem que adotamos e como posso passá-las para que todos possam compreender, entender e se conectar principalmente quando uma das minhas principais razões por estar tão imensa em Montessori é poder espalhar aos quatro ventos: como a educação vista a partir da filosofia de Maria Montessori pode mudar vidas.

“Seguir a criança” é uma frase que muitos professores Montessoris usam ao descrever como trabalhamos e acessamos as habilidades de um aluno. Posso entender como esse ditado honra a criança e assim impede que o adulto a conduza por sua própria agenda ou ações equivocadas sobre as necessidades que as crianças apresentam. Sendo assim, que tal desvendar os mistérios sobre o que, realmente significa seguir a criança:

  • Acompanhamos a criança quando temos tempo para conhecê-la, ou seja, tempo de qualidade;

  • Seguimos a criança quando a cada dia, a cada semana, a cada mês, sentamos e observamos a criança e vemos quais são seus interesses naturais;

  • Seguimos a criança quando pegamos as informações que nossas observações nos fornecem e as usamos para informar nossa prática;

  • Nós acompanhamos a criança quando a encontramos onde ela está e a apoiamos nas seguintes etapas em seu aprendizado social, emocional e acadêmico;

  • Seguimos a criança quando a observamos, ouvimos e orientamos na direção certa - pode ser um lugar que ela normalmente não leva ou oferecemos a ela o empurrãozinho que, às vezes, as crianças precisam.

  • Seguir não significa observar e não fazer nada, significa dizer que os educadores Montessori obtêm informações reais e factuais, por meio da construção de relacionamentos e da observação, e as usam para guiar o caminho natural da criança. Isso não é algo que uma criança pode decidir por si mesma - é por isso que em muitas escolas Montessori os professores são chamados de guias. Também não adoro usar esse termo, mas com a explicação certa e no contexto certo, é realmente uma bela maneira de apoiar a educação de um aluno e descrever o papel do professor.

  • Descobri que muitas pessoas pensam em dois extremos quando pedem para descrever Montessori - um é que na escola Montessori, as crianças podem fazer “qualquer coisa” que quiserem. A outra é que os professores se vestem todos de preto, ficam no perímetro da sala de aula, como um professor “parede” e as crianças devem fazer o trabalho acadêmico o dia todo. Engraçado, nenhuma dessas situações parece estar seguindo qualquer criança, e de forma alguma descreve com precisão uma sala de aula Montessori, e é por isso que todos nós precisamos fazer o trabalho e entender o que realmente queremos dizer quando dizemos isso.

  • O uso de construção de relacionamento, confiança, apoio e conhecimento da criança pequena é o que eu quero que as pessoas saibam quando eu digo, "siga a criança".

Por fim, qual termo Montessoriano vocês gostariam que conversássemos por aqui?