• Escola Lega Montessori

Rotina da escola – Versar Líquido de Jarra para Jarra

Natalie Shimada


A atividade de versar líquido de jarra para jarra pode até parecer simples e corriqueira para nós adultos, mas exige o desenvolvimento de muitas habilidades que apostilas e preenchimento de atividades no papel por si só não podem desenvolver. A criança em uma sala Montessori está se preparando para se tornar um ser humano independente, está desenvolvendo sua inteligência, senso de ordem interno, pensamento lógico e coordenação motora.

Na atividade de versar líquido de jarra para jarra, a criança versa uma quantidade específica de líquido de um recipiente de vidro para outro, com o objetivo de educar o movimento das mãos para um propósito, desenvolver a concentração e conquistar a autonomia. Estes objetivos são diretos, indiretamente a criança desenvolve coordenação óculo manual, desenvolve a mente matemática para noção de quantidade e funções executivas.

No dia a dia em uma escola Montessori as atividades de vida prática são essenciais para o desenvolvimento de todo o currículo escolar, um alicerce para a Matemática e a alfabetização que irão fluir naturalmente quando há bases bem desenvolvidas nas crianças. Na Escola Lega, conhecemos o processo de desenvolvimento e aprendizagem de todo o método Montessori, e nos dedicamos a explicar para as famílias a filosofia Montessori o conceito de educação integral.

Culturalmente, valorizamos atividades em apostilas, atividades impressas, preenchimento de exercícios e sim, são válidos! Mas, antes disso a criança necessita desenvolver habilidades essenciais para poder executar estas atividades abstratas com exímio e a proficiência necessária.

“As atividades de vida prática mantêm as crianças na vanguarda do desenvolvimento de suas habilidades, construindo sua inteligência, aprofundando sua concentração e

dando-lhes uma nova apreciação de suas capacidades em expansão.” —Lillard e Jessen (2008)

Maria Montessori, médica e educadora na sua primeira escola chamada Casa dei Bambini, percebeu que as crianças se interessavam em atividades da vida real, e que ao permitir que as crianças desenvolvessem atividades como se vestir, abotoar, varrer, lavar louça, costurar, versar, transpor, cozinhar, lavar louça elas se tornaram mais independentes, conscientes de seu ambiente e hábeis socialmente.

As atividades de vida prática são essenciais para o desenvolvimento físico, mental e moral. As crianças podem se adaptar ao mundo e constroem seu senso de autonomia e realidade por meio das atividades que lhe dão independência e controle da própria vida.

Referências:

Lillard, P. & Jessen, L., (2008). Montessori desde o início: A criança em casa, do nascimento aos três anos . Schocken.

www.montessori.org